24.09.2019  Sem categoria

A arte de contar histórias

Contar boas histórias: esse foi o jeito que escolhemos para perpetuar nosso conhecimento e cultura. Isso serve para todos os povos, públicos, mercados, empresas e famílias. E você, sabe utilizar essa arte para descrever o que pensa e defender os projetos que cria?

Através do curso da humanidade, a forma com que fazemos nossos aprendizados transcorrerem entre gerações é através de histórias. Sagas desenhadas nos muros das cavernas, nas pirâmides no Egito, em vasos na Mesopotâmia, na Bíblia, no Alcorão, com a revolução da imprensa de Gutenberg, por meio do folclore, das tradições, com “causos” de amigos e familiares e por fim, com memes da Internet.

As histórias nos conectam, trazem na maioria das vezes correlações com aquilo que vivemos na prática, o que gera um processo de empatia e pertencimento. Com o tempo, a comunicação, as artes e o marketing foram desenhando métodos para potencializar essa aptidão humana de construir narrativas e gerar impacto através das palavras, filmes, séries e livros.

Chamamos de Storytelling o método de se construir uma boa história com os mais variados objetivos que você possa ter. Seja para criar uma ótima redação para o vestibular, criar uma campanha publicitária, construir um plano de aula, moldar o conceito e os valores de uma empresa, escrever um livro e até contar uma história para seu filho. Contar histórias e consumir histórias são hábitos registrados em nossos genes.

E você sabe como construir uma boa história? Aqui vão algumas dicas:

– O processo de autoconhecimento, curiosidade e construção de repertório é muito importante. Procure ao menos perceber melhor as coisas que lhe cercam, assim será mais fácil de gerar conexões posteriores. 

– A emoção é intrínseca ao nosso cérebro. Mexer com as emoções é vital para retenção de atenção. Afeto, medo, curiosidade, admiração, representação, humor. São sentimentos importantes para a construção de histórias. Entenda seu público e suas referências. 

– Interagir potencializa a conexão. Uma boa história pode ser gravada na mente do seu ouvinte se você conseguir realizar alguma conexão com a vida desta pessoa.

– Faça as pessoas pensarem. Muitas vezes, nos desconectamos, pois nosso cérebro não consegue passar muito tempo concentrado em determinados tipos de atividade. Para isso crie momentos “Eureka”, em que a trilha de raciocínio leve a uma solução que faça sentido e seja surpreendente.

Na Talken, a construção das aulas utiliza muito dessa metodologia. A teacher Tatiana Nicz explica que “contar histórias é uma maneira lúdica de introduzir conteúdos de gramática e novo vocabulário. Além disso, a contação de histórias conecta alunos e professores através de espelhamento de personagens, fortalece a autoestima, deixa a aula mais leve e divertida, e traz importantes momentos de reflexões com descontração. Através da contação de histórias, também estimulamos a parte do lobo frontal do cérebro que fortalece a memória e todo o sistema cognitivo”.  

ASSINE NOSSO NEWSLETTER